Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020
Telefone: (54) 3381.1550
Whatsapp: (54) 9 9940-1045
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
26°
13°
22°C
Soledade/RS
Tempo nublado
Ao Vivo:
Geral

Caso Paula: vestígios de sangue são localizados em carro de homem que seria mandante do crime

Caso Paula: vestígios de sangue são localizados em carro de homem que seria mandante do crime
08.09.2020 14h17  /  Postado por: Departamento de Jornalismo

A Polícia Civil que investiga o caso da jovem Paula Perin Portes, que foi assassinada por ordem de uma facção criminosa em Soledade, revelou que o veículo do acusado de ser o mandante do crime teve vestígios de sangue localizados através de exame com luminol.

O Laudo do Instituto-Geral de Perícias (IGP) aponta que amostras de sangue foram localizadas em 10 pontos do veículo, sendo um Gol de cor vermelha, que pertence a Dionatan Portela da Silva. Ele é apontado como o mandante da morte da jovem e chefe da facção criminosa na região de Soledade. O exame detectou sangue em locais como o assento do banco traseiro, os carpetes do porta-malas, um pano branco no bagageiro e na parte interna das portas.

Dionatan foi detido por suspeita de envolvimento no crime no dia 8 de agosto, quan do o carro foi apreendido. A delegada que cuida do caso, Fabiane Bittencourt, explicou que o veículo provavelmente não foi usado para o transporte do corpo na noite do crime. Porém, há chance de ter sido usado para trocar o corpo de lugar após o assassinato. Também, no andamento das investigações sobre o caso a polícia descobriu que a facção criminosa agia também praticando outros assassinatos. A delegada acredita que, se o sangue não for de Paula, pode ser de outra vítima, por exemplo.

A polícia já indiciou 5 homens pelo crime, sendo quatro por homicídio qualificado, organização criminosa e ocultação de cadáver, e o quinto por ocultação de cadáver e organização criminosa.

A facção que agiu na morte de Paula tem base no Vale do Sinos, mas atua na cidade sob a liderança de Dionatan. Segundo a polícia, há provas de que o grupo atuava no tráfico de drogas, na comercialização de cigarros contrabandeados e na prática de outros crimes, como homicídios e tentativas de assassinato.

Texto: Rádio Uirapuru

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.